2 de maio de 2008

Esse vai sair no jornal...! Aguardem!

Sons e sons

Tantas vozes
Se contradizem
Se sobrepõem
Perdem o sentido
Se anulam
Se completam
Mas não
O percebem

Mil vozes
Ao mesmo tempo
Competem
Por uma pequena fração
De ar
Para se propagar
Contudo, outra voz
Não quer deixar

Vozes e vozes
Em nós
Sobre nós
Dentro de nós
Querendo sair
Mas não podem
Pois no externo
Tão libertador
Tão buscado
Existem ainda mais
Vozes.

8 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Lindo poema!

Beijos

Nathália disse...

Tenho incontáveis vozes dentro de mim. E muitas vezes elas começam a gritar buscando a liberdade.

Beijo!

Miguel Barroso disse...

Gostei!


A SEIVA

fernando disse...

o pior eh tentar falar e o que você diz não ser ouvido...ou parecer não fazer sentido...
te amo muito...muito mesmo

Menina do Rio disse...

As vezes nos perdemos nos meios das vozes que ecoam dentro e fora de nós...

Um um final de semana muito feliz, minha querida

Rui Caetano disse...

As vozes preenchem o nosso vazio interior, representam o nosso viver inquieo sempre. Um bom fim de semana.

Mary West disse...

Belo belo! Temos q domar essas vozes e correr para rua como se naum houvesse amanhã. =*

Liz / Falando de tudo! disse...

To aguardando sair no jorna!
So passei pra desejar bom fim de semana!
Liz