11 de abril de 2008

Olho para o céu, olho para mim...combo de poemas!

Celeste

Sombria como madrugada
Simples como ar
Triste como canção
Tensa como corda
Frágil como porcelana
Forte como touro

Impaciente espera
Seu momento final

Olho para o céu
Olham para ela

Não aguenta mais
Quer soltar-se
Derramar-se
Defazer-se
Quer...cair

E não mais se conter...
________________________________________

Pequena gota

Sentada
Meus pensamentos
Voavam longe

De repente
Uma gota
Surge em meus olhos

Uma pequena
Porção de água
Que me inunda
Me invade

Será que estou triste?
Será felicidade?
Será um pouco de sono?
Será saudade?

Sentada
Meus pensamentos
Voavam longe
Tão longe
Que se esqueceram
De fechar a janela

Sim, chovia
Contudo, meu coração
Minha mente
Já estavam afogados
Em um mar de sentimentos.

6 comentários:

Ana lúcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Carolina disse...

Oi Carol!!! Nossa tenho que dizê-la que vc com certeza será uma jornalista "de mão cheia", pois além de tudo, tem a sensibilidade de uma poetisa! Parabéns! Uma ótima semana pra vc! Bjos!

Juan Carlos disse...

Olá!
sua forma de escrever é fantástica!
adoro sua forma de pensar e como descreve tudo o que pensa!
beijos
se cuida!

fernando disse...

Oooooooooooooooi mô!
te amo

literatura disse...

Sensibilidade a rodos, é o que noto neste poema de que gostei imenso. Parabéns e não pares, minha amiga, continue se expressando assim tão bem...
Um beijo

Bianca Feijó disse...

Belos poemas!

Gostei do "Será?"

é sempre muito bom vir aqui!

B.E.I.J.O.S