5 de janeiro de 2009

Já diz o ditado: cabeça vazia...

Liberdade que prende

Férias da mente
Pensamentos soltos
Que vão
E voltam desconexos
O problema é quando começam a fazer sentido

Sim, é nisto que acredito!

Por mais que não seja real
Para mim, é verdade
Eu pensei
Criei
E dei vida

Repouso a cabeça no travesseiro
Contudo minha mente não descansa
Parece tomar ainda mais força
E começo a pensar em tantas coisas

Besteiras...

Infelizmente, nada há para fazer
Então vou ficar aqui
Presa nos fios de pensamento
Que me envolvem

Vou me deixar envolver..

6 comentários:

Gu Japinha disse...

E ai Carolzita!!!

Pensando em muita besteira??? Ahh, eu vivo pensando besteira, e acho que sem esses pensamentos a vida seria monotona demais!!!

Sei lá, é apenas um ponto de vista dentre inúmeros!!!

Grande Bjo
=)

Teofilo disse...

Há uns caminhos nestas infovias que são curioso. Dão voltas para criar proximidades semânticas. Assim, por causa de uma visita anônima tua, no orkut, eu acabei encontrando uns versos muito bem assinados.

Obviamente, não os li todos. Mas já te digo que adorei o final da tua parte de "O cndor e a poetisa", em que você fala: "Dê-me um soriso / Por mais que você não o veja". Estes versos arrancaram-me também um sorriso, por mais que nem eu nem você os tenhamos visto.

Li também -- e até mais do que os versos -- as tuas crônicas. Gostei em especial da que você fala sobre o Noir Desir...

Saudações,
Theo
http://www.teofilotostes.blogger.com.br/

Teofilo disse...

Apenas pra registrar que faltou um "o" em "condor", lá no meu comentário acima.

Theo
http://www.teofilotostes.blogger.com.br/

Mary West disse...

Eu ultimamente tou preferindo me ignorar.

Rogério Felício disse...

Olha no que vc anda pensando... *rs


Beijoks!!!

Poeta Condor disse...

Deixar ser levada às cordas do pensamento!... Sempre a escrever poemas delicados! Adoro os poemas e a poetisa amiga! Grande Bj.