29 de junho de 2008

Infelizmente, o coração não entende o conceito de relógio...

Horas

Uma hora eu fico
Sentada pensando em você


Duas horas se vão
Com o pensamento longe...


Três horas esperando
O momento de te encontrar


Quatro horas...já?
Acho que cochilei e sonhei contigo


Cinco horas e não agüento
Ficar com o coração em silêncio


Seis horas, um quarto do meu dia
Gasto só pensando em você


Sete horas, sinto fome
E saudade também


Oito horas...não acredito!
Quando você enfim virá?


Nove horas, começo a perder os sentidos
Acho que preciso de um calmante


Dez horas aqui sentada
Já vi todas as revistas pelo menos cinco vezes


Onze horas, desespero
Realmente preciso daquele calmante!


Doze horas. Enfim adormeço
E espero que você venha me visitar
Nem que seja no mundo dos sonhos.

Pausa para os comercais! Visitem o meu mais novo cantinho, Cronnicas de Carol
http://cronnicasdecarol.blogspot.com
Um beijo a todos!

9 comentários:

Michelli disse...

Vizinhas??? Seria muito interessante..rsrsrs
Amei seu poema, o Título é sensacional, ou seja a mais pura verdade. O coração não entende muitas coisas!!!
Beijos e um Ótimo Domingo.

Nathália disse...

Será que um dia o coração vai entender o caminhar do relógio?
Rsrs
Acho que não.
O coração não entende quase nada.

Beijo!

Mary West disse...

As horas sempre serão inimigas dos nossos amores, descompasso total.

NANDO DAMÁZIO disse...

Tem dias que são feitos de horas angustiantes .. Gostei da construção das palavras ..
Passando pra conhecer o blog, volto mais vezes ..
Abraço !!

Cravo e Canela disse...

Poema do Amigo!


Escuta meu amigo:

A qualquer hora em que chegares,
Sentar�s comigo � minha mesa.

A qualquer hora em que bateres � minha porta,
Meu cora�o tamb�m se abrir�.

A qualquer hora em que chamares, eu me apressarei.
A qualquer hora em que vieres,
Ser� o melhor tempo de te receber.

A qualquer hora em que te decidires,
Eu estarei pronto para seguir.

A qualquer hora em que quiseres beber,
Eu irei contigo � fonte.

A qualquer hora em que te alegrares,
Eu bendirei ao Senhor.

A qualquer hora em que sorrires,
Ser� mais uma gra�a que o Senhor me concede.

A qualquer hora em que quiseres ir,
Eu irei � frente dos caminhos.

A qualquer hora em que ca�res,
Eu estenderei os bra�os.

A qualquer hora em que te cansares,
Eu levarei a cruz.

A qualquer hora em que te sentires triste,
Eu permanecerei contigo.

A qualquer hora em que te lembrares de mim,
Eu acharei a vida mais bela.

A qualquer hora em que partires,
Ficar�s como a lembran�a de uma flor.

A qualquer hora em que voltares,
Renovar�s todas as minhas alegrias.

A qualquer hora em que quiseres uma rosa,
Eu te darei toda a roseira.

Eu te digo tudo isso,
Porque n�o posso imaginar uma amizade
Que n�o seja toda, de todos os instantes e para todo o bem.

Assim � que foi sempre e ser� a amizade de Cristo,
Para todos os homens de todos os tempos.

Agrade�o a Deus por ter me dado voc� como AMIGO...

MARCOS OLIVEIRA

fernando disse...

ooi mô!
ah...espero que seja de mim q vc esteja com saudade!
a gente jah vai se ver logo logo!!
te amo

AVESSOS disse...

lindo o que voce escreveu

Rosi Araújo disse...

Carol... obrigada pelas visitas, seus textos é que são lindos e eu sou só uma aprendiz ainda!

Beijoss, obrigada pelo carinho!

Caroline disse...

Cáaaaa

mudou o jeito do blog? gostei ficou legal, o cursor ica rosa... hahaha :p
Ai adorei o poema, me deixou meio ansiosa... :p

bjão